Aplicando o Tarot na sua vida…..Parte 3

Depois de ter colocado o Livro Rituais de Prosperidade, de encontro ao meu peito e feito a minha oração (invocação) de ajuda superior, fiz a seguinte pergunta: 

Como posso curar isso? Dê-me um método efetivo e rápido. Abri numa página aleatória. 

Resposta: Permita que nesses breves minutos de meditação algumas idéias ou sensações cheguem a sua mente ou se façam sentir em seus coração. 

Perceba, então de uma maneira nova como você pode se sentir forte e corajoso em seu interior, e o quanto tem para conquistar, principalmente em relação ao seu desenvolvimento espiritual. Mostre-se disposto a aprender – de verdade- nessa encarnação e, com esse aprendizado, sentir-se realmente mais próximo de Deus, do seu Amor, da Sua Justiça e da Sua Misericórdia. 

Se vc quiser, num determinado momento deste dia, escreva num pequeno pedaço de papel quais são os seus mais autênticos ideais, e qual realmente a sua maior meta a ser alcançada nesta vida. Em algumas poucas linhas, você conseguirá fazer isso. Durante certo período de tempo, leve o lembrete consigo.  

Portanto, a conclusão da minha leitura é que tenho que prestar atenção a essas tendências que naturalmente possuo e focar, com fé na minha capacidade.

Toda a cura começa com o desejo da cura, porém só o desejo não basta para as mudanças se efetuarem. É necessário um compromisso consigo mesmo, para com vigilância e disciplina adquirir hábitos que quebrem esses antigos padrões.

Agora, com a ajuda do tarot aplicado à minha vida, vou fazer meu dia com passos conscientes, em busca da minha felicidade e sucesso. Experimente você também e se quiser, compartilhe comigo aqui no blog sua evolução e progresso a partir das mensagens  do tarot.

Bom final de semana.

Anúncios

Aplicando o Tarot na sua vida…..Parte 2

Como exemplo prático de uma leitura de tarô, eu escolhi uma questão que é bem pertinente para mim.  

Qual é a Origem da minha atitude auto-sabotadora?  

Eu resolvi explorar esse lado negativo da minha personalidade…  eu sinto hoje uma necessidade pessoal de encarar esse leão olho a olho!  

Para tanto, eu usei algumas ferramentas que possuo: Tarot Tradicional, Livro de St Germain e Livro Rituais de Prosperidade.  

Antes de pegar o tarot, senti o desejo de usar o Livro de St Germain, pois gosto muito dos ensinamentos espirituais dados  por ele. Mentalizando a pergunta, enquanto segurava o livro de encontro ao meu peito, abri o livro numa página aleatória.  

Eis o que estava escrito: Auto-Dúvida…….pensei “típico da minha personalidade!” 

Depois disso, parti para a leitura com o Tarot. 

Comecei pedindo auxilio a uma força maior, queria chamá-la de Eu Superior, Universo, Natureza, Deus, Espírito Santo, o que quer que você se sinta confortável em invocar. 

Separando o meu Tarot em 3 montes: Arcano Maior, Menor e Real, escolhi uma carta de cada monte. 

Quando olho para os arcanos escolhidos, sempre fico atenta ao que o arquétipo está dizendo em relação a minha pergunta específica.  

Eis os arquétipos escolhidos: 

Arcano Maior: O Imperador.

(inserir foto desta carta) 

Resposta: Não incorporar a minha própria Autoridade.  

Como eu cheguei a essa conclusão: Sendo o Imperador o arquétipo que personifica Autoridade, não apenas auto-autoridade, mas também autoridade aos súditos e ao reino, esse arquétipo veio me alertar sobre a necessidade de desenvolver um senso de autoridade interna muito maior do que eu possuo, uma vez que os cenários da nossa vida nada mais são do que exteriorizações de crenças interiores.  

Arcano Menor: 7 de Espadas 

Resposta: Não há aplicação suficiente de energia mental numa maneira cautelosa, astuta e diplomática para atingir o objetivo desejado.  

Como eu cheguei a essa conclusão: Sendo o elemento Espadas Mental e 7 um número de movimento, o 7 de espadas nos indica que há necessidade de uma ação direcionada e estratégica, no que diz respeito ao campo mental.  

Arcano Real: Rei de Paus 

Resposta: não encontrei aquela dimensão da personalidade que inicia novas idéias e as vende para os outros (o empreendedor), gerando mudanças na própria vida e no meio-ambiente imediato. Falta o “espírito de liderança”, a crença que possui uma  idéia melhor que vale a pena promulgar e trabalhar para ver manifesta. 

Como eu cheguei a essa conclusão: sendo o rei a personificação da autoridade (de novo!) e o elementos Paus simbolizando Fogo, energia, crescimento e criatividade, esse arquétipo me indica que eu tenho que desenvolver em mim a qualidade de “empreendedor”, a pessoa que cria e estrutura uma idéia e depois a implanta.  

Tendo compreendido as mensagens que o Tarot me deu, parti então para a solução! 

Continua amanhã…

Aplicando o Tarot na sua vida…..Parte 1

Existem várias maneiras de aplicar o Tarot, no seu dia a dia. É importante declarar que o Tarot trabalha com arquétipos (idéias que servem para descrever modelos de todos os comportamentos existentes).

Geralmente, as pessoas fazem isso usando Oráculos, (que usam uma proposta diferente), porém o Tarot poderá oferecer um mesmo grau de reflexão, com muita objetividade.

Sugiro sempre que a pessoa comece usando uma só carta, para uma leitura mais prática. Quando se familiarizar mais com o Tarot, invista um tempo maior fazendo uma leitura de 3 cartas.

Lembre-se sempre que o Tarot gosta de trabalhar com perguntas específicas. Você pode pedir um conselho para uma questão, como por exemplo, a melhor maneira de proceder diante de uma situação; uma dica para o dia; uma sugestão para meditação; notícias sobre uma pessoa querida ou sobre uma proposta de trabalho, e por ai vai.

Modo de leitura:

1. Separe as cartas do Arcano Maior. Magnetize as cartas, colocando-as juntas ao seu peito e peça que a resposta que te vier, seja para o seu bem maior.

2. Em seguida, embaralhe as cartas.

3. Quando terminar, forme um leque com elas. Com a mão esquerda, acaricie as cartas até que a sua mão sinta qual a lâmina a ser escolhida.

Como o Arcano Maior são arquétipos psicológicos, reflita sobre a carta escolhida, pois ela sempre lhe dará acesso às idéias e crenças oriundas do seu inconsciente. O Arcano Maior tem a tendência de te dizer “os porquês”.

Se resolver ter uma leitura mais complexa, você também pode optar por separar as cartas do Arcano Menor e Arcano Real. O Arcano Menor vai te dizer “como” e o Real, de que “modo”.

As cartas não mentem jamais! Mesmo que a carta escolhida lhe pareça confusa, estude bem todos os seus significados, e os direcione a pergunta feita.

Use sempre seu discernimento para descobrir a resposta apropriada, uma vez que os significados dos arquétipos podem ser abrangentes, deixando o leitor não-experiente confuso. Ter a orientação de um mestre ou profissional que estude o tarot pode ser muito valioso neste momento.

Continua…

A Origem do Tarot…(Parte 2)


Em cerca de 593, Ezequiel teve uma visão notável. Essa visão é hoje a carta do Arcano Maior número 10 – A Roda da Fortuna. 

A visão em si é muito reminiscente das descrições de Baal, o Deus Cananeu da tempestade. Na visão, há um vento tempestuoso e uma grande nuvem, e um fogo intermitente. Deus está montando uma espécie de carruagem trono, com quatro rodas. A Carruagem esta acima de uma nuvem. Essa nuvem é chamada Kavod, e que contém ou oculta o fogo que é a presença do Senhor. 

Ele está acima de quatro criaturas magníficas. Cada uma delas tem um corpo humano e, em seguida, quatro rostos: o rosto de um ser humano, o rosto de um leão, o rosto de um boi, e o rosto de uma águia.

A humanidade do profeta é enfatizada, em contraste com esta divindade transcendente, com a seguinte frase: “Filho do Homem”, Adam Ben. Filho do Homem simplesmente é o termo hebraico para um ser mortal ao invés de ser divino. Filho do Homem significa simplesmente um ser humano, uma morta. Ben Adam, aquele que é igual a Adão. 

É interessante notar, que essas quatros criaturas correspondem aos 4 elementos do Tarot Tradicional: Ser Humano – Água; Leão – Fogo; Boi – Terra; Águia – Ar. 

Entretanto, seria injusto definir as Lâminas do Tarot, como apenas depositárias da sabedoria cabalística ou baseadas nas profecias do Velho Testamento. Também encontramos outras escolas de pensamento, como por exemplo,  sabedoria da antiguidade do Egito, numerologia pitagoriana, a geometria sagrada, alquimia e a astrologia, entre outras. 

Podemos dizer que o Tarot, tal como conhecemos hoje, é um compendio de filosofias espirituais, esotéricas e metafísicas, aonde é possível se realizar uma análise detalhada sobre o inconsciente e a vida da pessoa que o esta consultando. 

Continua…

A Origem do Tarot…(Parte 1)


Reza a lenda, que os ensinamentos contidos nas Lâminas do Tarot, teve sua origem na época de Moisés. O Judaísmo nasceu como um ato de revelação da Tora, no Monte Sinai.

Com a intenção de preservar os aspectos mais puros dos ensinamentos, nasceu uma série de símbolos e sistemas, que auxiliava a memorização.

Kaballah, em hebraico, “receber”, é um conjunto de ensinamentos esotéricos, que são destinados a explicar a relação entre o Criador Infinito e o Universo Finito & Mortal de Sua Criação. A Kaballah é ao mesmo tempo, uma disciplina & uma escola de pensamento, do aspecto místico do Judaísmo.

Embora Moisés seja considerado o maior dos profetas, ele não foi o último ou o único.

Um dos profetas foi Ezequiel, um sacerdote, que viveu em exílio na Babilônia, durante a destruição final e da queda de Jerusalém em 587 AC. Ele é um dos quatro escritores proféticos do Antigo Testamento. Ele tentou interpretar a vontade de Deus em suas profecias. Muitas de suas profecias tomou forma de visões.

Como sacerdote iniciado para os segredos do santuário, ele escreveu suas profecias, a fim de preservar, por meio de símbolos tradicionais, as grandes doutrinas da Teologia Hebraica Oculta, que era tido como o conhecimento universal do mundo antigo, naquela parte da região do Oriente Médio.

Continua…

Símbolos…aonde vislumbramos a eternidade… ( parte 1)

A linguagem escrita começou a ser criada através de símbolos, há 50.000 mil anos. E a consciência daquela época só tinha uma fonte para se inspirar e criar seus símbolos: a Natureza.

Até ai, tudo muito simples: observar e desenhar… porém, até chegar nesse ponto, a humanidade teve que desenvolver um processo mais complexo de inteligência e coordenação motora, para enfim registrar esses símbolos nas pedras. Nasce a escrita!

Nos primórdios, a escrita apenas fazia registros, porém com o avanço da consciência, nasceu o desejo de deixar registrado pensamentos, idéias e ensinamentos, que antes eram apenas passados em forma oral, de geração para geração.

É ai que o estudo dos símbolos toma um aspecto fascinante e iluminador.

Como seria, com o entendimento daquela época, olhar para formas da Natureza e definir um significado a elas?

Pegue símbolos como o sol, a lua, as estrelas…formas inatingíveis.

Pense em símbolos como a água e a chuva, a terra e a rocha….formas maláveis e palpáveis. O ar e o vento, as labaredas do fogo….formas abstratas e não palpáveis.

Visualize símbolos das plantas, flores, frutas, animais, peixes e aves……formas que alimentam e que podem matar.

A montanha e o penhasco…formas imponentes.

A gruta ou uma árvore…..formas acolhedoras.

Tem mais!

E quanto às cores: A cor do sangue, as cores da terra, as cores das plantas, das frutas e das flores, as cores do céu…

E os sons? O som da tempestade, da ventania, das trovoadas, dos mares, dos deslizamentos, de um vulcão em erupção….

Agora vamos um pouco mais além: o nascimento e a morte. O frescor da juventude e a decrepidez da velhice.

Pergunto de novo, como seria observar todas essas formas e fenômenos, com o entendimento da consciência inocente e primitiva dos humanos, e imbuí-los de significado?

Continua….